Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Graforreia Intermitente

Opinadelas, Politiquices, Ordinarices, Música, Cinema, Lirismo, Contos e muito mais!

Graforreia Intermitente

Opinadelas, Politiquices, Ordinarices, Música, Cinema, Lirismo, Contos e muito mais!

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Opinadela: Há feminismos que não compreendo

Quando li esta notícia no Observador primeiro fiquei incrédulo, depois senti-me revoltado.

Então não é que um grupo de feministas mascaradas decidiu invadir a barbearia lisboeta Figaros Barbershop. Rí-di-cu-lo!

Segundo entendi o movimento feminista considera que o facto de uma barbearia possuir um cartaz que indica a permissão de entrada a cavalheiros e cães leais, vedando o acesso a senhoras, representa uma afronta ao princípio da igualdade.

Mas qual igualdade? Igualdade em frequentarem estabelecimentos destinados ao tratamento capilar e peloso exclusivamente para homens? Eu já ouvi falar de mulheres barbudas em Freak Shows, mas será que já passou por lá alguma destas senhoras a quem foi recusada a entrada?

Eu concordo que exista reserva do direito de admissão quando os “fregueses” não manifestem intenção de utilizar ou consumir os serviços prestados. É algo lógico, certo? Até porque, entre tantos outros motivos, alguns estabelecimentos poderão não ter a capacidade de espaço para atender devidamente os seus clientes. Contudo, neste caso, as feministas poderiam manifestar a intenção de serem barbeadas, mas creio que tal ato será improvável (excetuando as tais “mulheres barbudas”).

O que me deixa mais revoltado é o facto de existirem mulheres que se sentem incomodadas por não poderem usufruir dos serviços deste estabelecimento. Todavia parecem concordar (suponho) com a existência dos ginásios exclusivos para mulheres, pois ainda não ouvi que se tenham manifestado nestes estabelecimentos.

 

 

Politiquices: Novo Achincalhar do Ensino

Neste blog já expressei a minha leiga opinião sobre o Ensino em Portugal – podem ver aqui. Mas, depois de ouvir e ler algumas notícias esta semana, sinto necessidade de escrever sobre este assunto novamente.

A primeira “notícia” veio do Conselho Nacional de Educação, que defende o fim dos chumbos. Transcrevendo o Expresso:

«Órgão consultivo do Ministério da Educação diz que retenção dos alunos sai demasiado cara ao Estado, pode provocar "problemas emocionais" nos alunos e não é eficaz.»

Fiquem chocados (ou não), mas desatei à gargalhada quando ouvi e li sobre este assunto. Porque os primeiros pensamentos que me ocorreram foram:

  • Afinal a mais importante função das escolas é fazer com que os meninos não se sintam mal por não estudarem nem estarem atentos às aulas;
  • “Reter” os alunos não é eficaz, pelo que o melhor é “passá-los” sempre, mesmo que não saibam escrever ou fazer contas corretamente.

Antes de mais tenho de esclarecer que me custa dizer ou escrever “reter” ou “retenção”. Quando alguém termina um percurso com avaliação positiva fica aprovado, certo? Qual o antónimo de aprovado? REPROVADO! Mas pelos vistos é mais bonito falar em retenção. Um eufemismo absurdo. Além de que, para mim, ficar retido é ficar preso – “Fiquei retido (preso) no trânsito!” Um aluno/formando com avaliação positiva fica aprovado, um aluno/formando com avaliação negativa fica reprovado. Simples!

 

Ordinarices: Eu avisei!

Pois foi! Eu avisei que esta graforreia é intermitente. E, após este período de ausência, a ver vamos se consigo ser menos intermitente. 

Peço desculpa aos eventuais e poucos e bons - muito bons - leitores que por aqui vão passando pelos eventuais transtornos que a ausência possa ter causando - mesmo sabendo que muitas vezes são maiores os transtornos da presença.

 

 

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D